O Dia das Mães foi criado em 1908 por uma senhora chamada Anna Jarvis de Grafton, nascida nos Estados Unidos, em homenagem a sua mãe. Jarvis lutou muito por um feriado que celebrasse todas as mães, e depois de muito trabalho duro e determinação, o presidente na época, finalmente fez disso um feriado oficial nos Estados Unidos em 1914.

O que Anna Jarvis não esperava era que esse dia se tornasse um dia comercial. O desejo de Anna era que o Dia das Mães fosse apenas um dia para mostrar amor, gratidão e apreço a todas as mães maravilhosas, através de atos de bondade.

O Dia das Mães é comemorado no segundo domingo de maio. Antigamente antes de existir o Dia da Mães se tinha o Domingo Materno. O Domingo Materno era um feriado religioso para agradecer a Virgem Maria, a mãe de Jesus, símbolo do amor familiar.

 

Origem do Dia da Mães

 

As celebrações do Dia das Mães remontam aos gregos antigos, onde eles celebravam Rhea, a Mãe dos Deuses e Deusas, toda primavera com festivais de adoração. Os romanos também celebravam uma deusa mãe, Cybele, todo mês de março, desde 250 AC.

A data varia em outras partes do mundo. Muitos países, assim como o Brasil, seguem os Estados Unidos e celebram o Dia das Mães no segundo domingo de maio, enquanto outros países aproveitam o dia 8 de março, que é o Dia Internacional da Mulher.

Como muitas tradições e festividades, o Domingo das Mães começou com um propósito religioso. Realizada no quarto domingo da Quaresma, exatamente três semanas antes do domingo de Páscoa, era originalmente um dia para homenagear e dar graças à Virgem Maria, também conhecida como Mãe Maria. Tais celebrações exigiam que as pessoas visitassem sua igreja “mãe” – a igreja principal ou a catedral na área da família. Acreditava-se ser essencial que as pessoas retornassem à igreja materna de sua casa, para torná-la uma verdadeira ocasião de honra para a família.

Compartilhe: